Dando continuidade às nossas entrevistas com os desenvolvedores, tiramos um tempo para falar com a Skyler, uma dos nossos programadores que entrou para a equipe no ano passado. Veja abaixo.

Olá Skyler! Obrigado por participar da entrevista. Por favor se apresente.

Olá! Meu nome é Skyler e eu sou uma programadora de jogabilidade na Grinding Gear Games desde mais ou menos Outubro do ano passado. Nasci no Alaska, onde cresci, fiz meu curso superior na Universidade de Utah e agora estou aqui na NZ aprendendo a ser uma kiwi de verdade.

Você poderia nos falar um pouco sobre seu atual papel na GGG?

Como programadora de jogabilidade eu basicamente faço tudo relacionado a programação que tenha a ver com a jogabilidade: implementar itens únicos, adicionar novos status, criar habilidades e mais.

Quando você ficou sabendo sobre o Path of Exile?

Comecei a jogar Path of Exile mais ou menos 7 anos atrás quando estava no ensino médio e a 1.0 saiu. Eu tinha um amigo que me falou sobre ele e eu lembrava com carinho do D2 quando era criança, então testei o jogo. Tenho jogado quase todas as ligas desde então.

Qual foi o momento que te prendeu no jogo?

Acho que pra mim foi uma combinação de duas coisas.

Primeiro foi definitivamente a teorização. Eu provavelmente gastei tanto tempo, ou até mais tempo, usando os planejadores de árvore passiva offline e a wiki do que realmente jogando o jogo. Antes do Path of Building (obrigado OpenARL!) eu estaria na sala de aula escrevendo números da wiki e da árvore offline e fazendo contas manuais no papel para estimar o total de DPS de alguma ideia de build. Eu gastava horas nestas coisas, algumas vezes não conseguindo dormir até que eu houvesse planejado uma ideia de build que estava gritando na minha cabeça.

O segundo fator provavelmente foi a comunidade. Tenho olhado o reddit do Path of Exile várias vezes por dia por quase sete anos. Eu simplesmente adoro as builds que as pessoas criam e aprendo mais sobre o jogo através dos outros. Somado a isso, nas últimas semanas que precedem um lançamento de liga tudo é simplesmente mágico. O hype é infectante.

Você conhecia o Chris antes de entrar na empresa. Como se conheceram?

Na verdade eu tive sorte em conhecer o Chris. Eu estava terminando meu último ano na Universidade de Utah em 2019 e estava participando da Game Developers Conference em São Francisco. Um amigo me emprestou o passe VIP dele e me encorajou a ir à uma palestra. Notei que Chris era um dos palestrantes e isso me interessou. Após a palestra eu o perguntei sobre oportunidades de trabalho e ele me passou seu e-mail e discord. Eu fiquei chocada. Também tenho um pouco de vergonha de admitir, mas eu definitivamente tirei uma selfie com ele para mostrar ao amigo que me introduziu ao jogo há alguns anos hahaha.

Quando soube que queria trabalhar na indústria de vídeo games?

Eu decidi que queria criar jogos no início do meu ensino médio, então era definitivamente um plano a longo prazo para mim. Sempre fui adepta daquela frase "trabalhe com algo que você ama e não terá que trabalhar nenhum dia na sua vida". Claro, todos os trabalhos parecerão trabalhos em algum momento da sua vida, mas eu geralmente me sinto bem privilegiada por ser capaz de seguir minha paixão.

Como você conseguiu o trabalho na GGG?

Após me encontrar com Chris na GDC eu me esforcei bastante para escrever uma carta de recomendação e currículo, enviei um e-mail para ele, e cruzei os dedos. Após uma longa troca de e-mails nós marcamos uma entrevista técnica com Jonathan onde eu compartilhei minha tela e resolvi um problema de programação na hora. No entanto, apesar da minha programação em geral ser bem forte e eu saber imediatamente como resolver o problema, meu C++ era bem fraca (eu estava usando muito Unity e C# nos últimos anos). Estava certa de que havia estragado a entrevista quando Jonathan disse "Bem… seu C++ obviamente precisa de bastante trabalho." Mas ele continuou, "No entanto, está claro que você realmente é uma programadora. Você pensa como uma programadora. Podemos trabalhar com isso." Eu quase cai da cadeira, mas de alguma forma consegui manter minha postura pelo resto da entrevista.

Você está trabalhando nas mecânicas das habilidades. Você conseguiria nos fazer um resumo do processo do seu envolvimento no desenvolvimento de uma nova habilidade?

Claro! O primeiro passo é criar um protótipo minimamente viável. Só algo que funcione para que possamos sentir se a ideia promete. Após isso é uma extrema troca interativa entre eu, o designer e o artista visual. Obviamente o designer tem a palavra final na maioria das decisões técnicas, mas eu gosto muito de contribuir com precisão com minhas opiniões. Geralmente valorizo tentar criar habilidades que sejam interessantes para teorizar, já que esta sempre foi a parte favorita do jogo para mim.

Qual o aspecto mais desafiador da programação da jogabilidade do Path of Exile?

Definitivamente o tamanho total do jogo. Gosto de brincar dizendo que eu sou paga para corrigir bugs e criar mais bugs para corrigir depois. O código base é absolutamente enorme e é bem fácil deixar escapar pequenos detalhes ou não considerar casos específicos. Por sorte ter um bom entendimento do jogo me ajudou a considerar estes casos, mas ainda pode ser bem difícil pegar tudo (Abençoados sejam o QA por pegar tantos dos nossos bugs).

Existe algo no que tenha trabalhado que seja seu favorito até o momento?

Acho que foi implementar a O Salvador. Realmente gosto da abertura de possibilidades que a espada oferece. Tem sido bem gratificante assistir vídeos de pessoas testando todas as habilidades diferentes que podem funcionar com ela e teorizando a respeito do que é melhor e como eles poderiam criar builds ao redor das diferentes opções.

Você tem algum conselho para aspirantes a programadores?

Seu estudo não é suficiente. É triste, mas é muito verdade. Se você quer se destacar não pode simplesmente confiar no seu trabalho em sala de aula.. Você sempre tem que experimentar dentro de projetos, trabalhar em estágios e construir um portfólio bem selecionado. Isso é especialmente verdade se você quer entrar na indústria de jogos. Encontre projetos que te interessem e se dedique. A única forma de melhorar na programação é programar.

O que a comunidade pode esperar em termos das coisas nas quais você está trabalhando no momento?

Nesta liga eu tenho trabalhado bastante na categoria de habilidades antigas que não viram muitas mudanças grandes já há algum tempo: reformular as habilidades originais e criar algumas outras novas também. Sou um pouco limitada sobre o que posso revelar por enquanto (temos notícias saindo em breve), mas basta dizer que acho que as mudanças possibilitarão builds interessantes e trarão vida para formas bem éticas de jogabilidade.
Posted by 
on
Grinding Gear Games

Report Forum Post

Report Account:

Report Type

Additional Info